Sangue – Tudo que Você Precisa Saber

//Sangue – Tudo que Você Precisa Saber

Sangue – Tudo que Você Precisa Saber

O sangue caracteriza-se por um fluido corporal, constituído por diferentes tipos de células, que circula por todo o corpo humano desempenhando diversas funções.

O sangue representa entre 7 e 8% do nosso peso corporal. Um homem de estatura média tem cerca de 12 litros de sangue em seu corpo, enquanto uma mulher de estatura média tem cerca de nove litros.

Funções do Sangue

O sangue exerce muitas funções diferentes, que incluem:

  • Transporte de oxigênio e de nutrientes para os pulmões e tecidos corporais;
  • Formação de coágulos sanguíneos para evitar perda de sangue excessiva;
  • Transporte de células e anticorpos que combatem a infecção;
  • Condução de hormônios pelo organismo;
  • Transporte de produtos residuais para os rins e o fígado, responsáveis pela filtração e limpeza do sangue;
  • Regulação da temperatura corporal.

Composição do Sangue

O sangue que percorre nossas veias, artérias e capilares é conhecido como sangue total, composto por uma mistura de aproximadamente 45% de células sanguíneas e 55% de plasma.

Glóbulos Vermelhos (Hemácias)

As hemácias, chamadas também de glóbulos vermelhos ou eritrócitos, encontram-se em maior porção no sangue, representando cerca de 40 a 45% do volume das células sanguíneas. Seu formato assemelha-se ao de um donut: suas faces têm recortes em formato de tigela.

As hemácias são conhecidas por sua cor vermelha brilhante e, diferentemente das demais células, elas não possuem núcleo e podem mudar de forma facilmente, adaptando-se, assim, aos mais diversos vasos sanguíneos do corpo.

Em contrapartida, por mais que a ausência do núcleo aumente sua flexibilidade, ela também limita a vida da célula quando permite que ela percorra os menores vasos sanguíneos. Estas viagens danificam as membranas das células, e esgotam seu suprimento de energia. A sobrevivência média de um glóbulo vermelho é de 120 dias.

Os glóbulos vermelhos contêm uma proteína, denominada hemoglobina, que auxilia no transporte de oxigênio dos pulmões aos demais órgãos do corpo e, em seguida, no retorno do dióxido de carbono do corpo aos pulmões, para que este seja exalado.

São as hemácias que tornam a cor do sangue vermelha, devido à grande quantidade em que se encontram no mesmo.

Glóbulos Brancos (Leucócitos)

Os glóbulos brancos, também chamados de leucócitos, são muito menos abundantes em relação à quantidade de glóbulos vermelhos: representam cerca de 1% do nosso sangue, apenas. Sua função é proteger o corpo humano de infecções.

Um dos tipos mais comuns de glóbulos brancos é o neutrófilo, a célula de resposta imediata; ela representa entre 55 e 70% da totalidade dos leucócitos. A expectativa de vida de um neutrófilo é inferior a um dia; portanto, a medula óssea deve fabricar incessantemente novos neutrófilos para manter o organismo protegido contra infecções.

O linfócito é o outro tipo principal de glóbulos brancos, e divide-se entre duas populações predominantes: T e B. A função do linfócito T é atacar diretamente várias células do sistema imunológico, além de auxiliar na regulação da função de outras células.

Já o linfócito B é responsável pela produção de anticorpos, proteínas que atacam especificamente vírus, bactérias e outros corpos estranhos.

Plaquetas (Trombócitos)

As plaquetas caracterizam-se por fragmentos de células que auxiliam no processo de coagulação do sangue. Quando ocorre uma lesão, elas se reúnem, aderem-se ao revestimento do vaso sanguíneo lesionado e originam uma plataforma, na qual a coagulação do sangue pode ocorrer.

Tal fenômeno resulta na formação de um coágulo de fibrina, responsável por cobrir a região lesionada e impedir que o sangue vaze. A fibrina também promove a cicatrização da ferida, através da formação de um andaime inicial.

Uma contagem anormal do número de plaquetas no sangue, seja superior ou inferior, pode resultar em danos à saúde do indivíduo. Atualmente, existem terapias disponíveis que auxiliam na prevenção das consequências potencialmente fatais decorrentes da contagem anormal de plaquetas.

Plasma

O plasma representa o componente líquido do sangue, e é uma mistura de água, açúcar, gordura, proteína e sais.

É responsabilidade do plasma transportar células sanguíneas por todo o corpo, junto com os nutrientes, anticorpos, resíduos, proteínas de coagulação, mensageiros químicos (como hormônios) e proteínas, que ajudam a manter o equilíbrio de fluidos corporais.

Origem das Células Sanguíneas na Medula

As células sanguíneas desenvolvem-se a partir de células-tronco hematopoiéticas, e são originadas na medula óssea, através do processo da hematopoiese.

As células-tronco hematopoiéticas podem transformar-se em glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas. Estas podem ser encontradas circulando na corrente sanguínea e medula óssea de pessoas de todas as faixas etárias, inclusive no cordão umbilical dos recém-nascidos.

Células-tronco podem ser incluídas no tratamento de uma variedade de doenças, incluindo leucemia, linfoma, insuficiência da medula óssea e muitos distúrbios imunológicos.

Doenças do Sangue

As doenças do sangue afetam todo o organismo e provocam graves danos à saúde. São muitos os problemas sanguíneos que acometem a população, alguns deles com maior frequência. As doenças do sangue mais comuns são:

  • Hemofilia;
  • Púrpura trombocitopênica idiopática;
  • Enfermidades malignas hematológicas, como linfoma e leucemia;
  • Hemoglobinopatias;
  • Tromboembolismo arterial;
  • Trombose das veias profundas;
  • Anemia por deficiência de ferro, anemia falciforme e anemia relacionada ao trauma;
  • Policitemia ou excesso de produção de glóbulos vermelhos;
  • Mielofibrose;
  • Doença de Von Willebrand;
  • Síndromes mielodisplásicas;
  • Hemoglobinopatias, como talassemia e doença falciforme;
  • Mieloma múltiplo;
  • Linfomas malignos.
2018-06-20T13:33:55+00:00 23 de maio de 2018|Geral|