Os glóbulos brancos do corpo (leucócitos) ajudam a proteger contra doenças e enfermidades e a combater micro-organismos prejudiciais. Quando esses glóbulos brancos estão acima da faixa normal, isso é chamado de leucocitose.

Veja neste artigo mais informações sobre a leucocitose, suas causas, tipos e formas de tratamento.

Leucocitose

Saiba Mais sobre a Leucocitose

A contagem normal de leucócitos em adultos varia de aproximadamente 4.000 a 10.000 células / mm3. Consequentemente, uma contagem total de leucócitos acima dessa faixa constitui a presença de leucocitose.

Causas

Recupere a Saúde da sua Medula Óssea!
Agende uma Consulta com Hematologista Hoje.

As causas comuns de leucocitose incluem infecção, mas também pode ocorrer se uma pessoa tiver tumores ósseos ou leucemia.

Outros estresses no corpo causados ​​por exercícios extenuantes, convulsões, estresse emocional e gravidez / parto também são conhecidos por serem as causas dessa condição. A leucocitose também pode ser causada por anestesia, como efeito colateral de um medicamento ou de uma injeção de epinefrina.

Tipos de Leucocitose

Existem diferentes tipos de glóbulos brancos e tipos de leucocitose, que são classificados pelo tipo de glóbulos brancos aumentado.

Neutrofilia

Os neutrófilos são o tipo mais comum de glóbulo branco. Eles são a primeira linha de defesa do corpo no combate a infecções e vírus, e frequentemente sinalizam para outros componentes do sistema imunológico para responder a esses invasores.

Neutrofilia é um tipo de leucocitose que afeta os neutrófilos e está frequentemente associada a infecções e inflamação por lesões e artrite. As causas conhecidas de neutrofilia incluem:

  • Uma reação adversa a medicamentos como esteroides, lítio e inaladores;
  • Estresse emocional ou físico;
  • Certos tipos de leucemia;
  • Remoção do Baço;
  • Tabagismo.

Linfocitose

Linfócitos no sangue criam células T que destroem diretamente os invasores prejudiciais e células B que produzem anticorpos para reconhecer essas células estranhas, se forem vistas novamente pelo sistema imunológico.

A linfocitose é um número aumentado desses tipos de células. É um tipo comum de leucocitose e está associada a infecções virais e leucemia. As causas conhecidas de linfocitose incluem:

  • Reações alérgicas;
  • Infecções virais;
  • Tosse convulsa (coqueluche);
  • Certos tipos de leucemia.

Monocitose

Os Monócitos são tipos de células maiores e vivem mais do que muitos glóbulos brancos. Eles trabalham para ajudar a destruir bactérias e remover resíduos celulares.

A monocitose, que é incomum, ocorre quando há um número elevado dessas células. As causas conhecidas de monocitose incluem:

  • Infecções causadas por certos fatores, incluindo mononucleose, vírus Epstein Barr, tuberculose e fungos;
  • Remoção do Baço;
  • Doenças autoimunes.

Eosinofilia

Os eosinófilos são glóbulos brancos que atacam os parasitas e reagem à inflamação.

Um número elevado dessas células é a eosinofilia. As causas conhecidas de eosinofilia incluem:

  • Alergias sazonais;
  • Outros tipos de reações alérgicas;
  • Certos tipos de doenças de pele;
  • Certos tipos de câncer.

Basofilia

Basófilos são pequenas células que criam uma reação quando agentes infecciosos invadem seu sangue. Esse tipo de células brancas do sangue secretam substâncias químicas como a histamina, um marcador de doenças alérgicas, que ajudam a controlar a resposta imunológica do corpo.

Basofilia, que é uma condição rara, ocorre quando há um alto nível desses tipos de células. Está associada à leucemia. Outras causas conhecidas de basofilia incluem:

Sinais e Sintomas

Pessoas com leucocitose podem apresentar um ou alguns dos sintomas abaixo:

  • Reação alérgica nos pulmões que causa respiração ofegante ou problemas respiratórios;
  • Reação alérgica na pele, incluindo urticária, coceira na pele e erupções cutâneas;
  • Tontura, sensação de desmaio ou suor;
  • Dor ou febre no local da infecção;
  • Sangramento na boca, estômago ou intestino (áreas do corpo cobertas por mucosa);
  • Dor ou formigamento nas pernas, braços ou abdômen;
  • AVC;
  • Problemas de visão;
  • Perda de peso.

Diagnóstico

A leucocitose é um achado laboratorial comum encontrado na prática hospitalar, ou em ambiente médico. Geralmente, a grande maioria dos casos de leucocitose são reativos e benignos – resultantes da liberação de mediadores químicos que estimulam o desenvolvimento de precursores de leucócitos e liberação de células maduras da medula, circulação sanguínea e baço.

O hemograma é o exame que indica o aumento nos leucócitos e pode diagnosticar a condição. Biópsias de medula óssea também podem ser usadas, para buscar identificar sua causa.

Tratamento

A forma de tratamento a ser realizada é baseada no fator que está causando o aumento de leucócitos:

  • Antibióticos, para tratar infecção;
  • Tratamento de condições que possam ter causado a inflamação;
  • Anti-histamínicos e inalação, para tratar reações alérgicas;
  • Quimioterapia, radiação e, quando indicado, transplante de células-tronco quando a causa for leucemia;
  • Alterações nos medicamentos utilizados (se possível) se a causa for uma reação ao medicamento;
  • Tratamento das causas de estresse e ansiedade, se estiverem presentes.

Complicações

Ao contrário da crença popular, a leucocitose não maligna normalmente não prejudica o paciente.

Uma exceção é nos casos em que desenvolve-se uma síndrome hipereosinofílica, uma doença caracterizada por leucocitose eosinofílica crônica, em que o paciente pode sofrer dano tecidual por produtos tóxicos liberados pelos eosinófilos. O coração é especialmente suscetível à toxicidade induzida por eosinofilia, que pode ser fatal.

A leucocitose neutrofílica na maioria das vezes é de natureza reativa em resposta a uma infecção ou processo inflamatório. Mesmo contagens totais de leucócitos superiores a 25.000 células / mm3 (reação leucemoide) não representam uma ameaça direta.

No entanto, a única situação em que a leucocitose extrema (por exemplo, maior do que 100.000 células / mm3) pode ser prejudicial ou fatal é a síndrome de hiperleucocito-leucostase associada à leucemia mieloide aguda (LMA).

Referência: CancerTherapyAdvisor

Recupere a Saúde do seu sistema imunológico!
Reserve Agora mesmo a sua Consulta com Hematologista.