Medula Óssea

A medula óssea é o tecido esponjoso que fica dentro de alguns dos ossos do corpo, incluindo os ossos do quadril e da coxa. A medula óssea contém células imaturas, chamadas células-tronco.

A medula óssea é muito importante, pois diversas pessoas com doenças do sangue, como leucemia, linfoma, anemia falciforme e outras condições que ameaçam a vida, contam com transplantes de medula óssea ou de sangue do cordão umbilical para sobreviver.

Medula óssea e células sanguíneas saudáveis são necessárias para a vida. Quando alguma doença afeta a medula óssea, de modo que esta não pode mais funcionar de forma eficaz, um transplante de medula ou de sangue do cordão umbilical pode ser a melhor opção de tratamento, e para alguns pacientes, é a única cura potencial.

  • Função
  • Células-Tronco
  • Transplantes

A maioria dos glóbulos vermelhos, plaquetas e glóbulos brancos são formados na medula vermelha.

Os glóbulos brancos sobrevivem de algumas horas a alguns dias, plaquetas vivem por cerca de 10 dias e glóbulos vermelhos por cerca de 120 dias. Essas células devem ser constantemente substituídas pela medula óssea, pois cada célula sanguínea tem uma expectativa de vida definida.

Certas condições podem desencadear a produção adicional de células sanguíneas. Isso acontece quando o teor de oxigênio dos tecidos do corpo é baixo, quando há perda de sangue ou anemia, ou se o número de glóbulos vermelhos diminui. Se isso acontecer, os rins produzem e liberam eritropoietina, um hormônio que estimula a medula óssea a produzir mais glóbulos vermelhos.

A medula óssea também produz e libera mais glóbulos brancos em resposta a infecções, e mais plaquetas em resposta a hemorragias. Se uma pessoa sofrer uma séria perda de sangue, a medula óssea amarela pode ser ativada e transformada em medula óssea vermelha.

A medula óssea saudável é importante para uma variedade de sistemas e atividades.

A medula óssea contém dois tipos de células-tronco: mesenquimais e hematopoiéticas. A medula óssea vermelha consiste em um tecido fibroso delicado, altamente vascular, contendo células-tronco hematopoiéticas. Estas são células-tronco formadoras de sangue.

Já a medula óssea amarela contém células-tronco mesenquimais, também conhecidas como células estromais da medula. Estas produzem gordura, cartilagem e osso.

As células-tronco são células imaturas que podem se transformar em vários tipos diferentes de células. As células hematopoiéticas na medula óssea dão origem a dois tipos principais de células: linhagens mielóides e linfóides. Estes incluem monocitos, macrófagos, neutrófilos, basófilos, eosinófilos, eritrócitos, células dendríticas e megacariócitos ou plaquetas, bem como células T, células B e células exterminadoras naturais.

Os diferentes tipos de células-tronco hematopoiéticas variam em sua capacidade regenerativa e potência.

Um transplante de medula óssea pode ser usado com diversas finalidades, algumas delas são:

  • Substituir a medula óssea doente e que não está funcionando por uma medula óssea saudável, para:
    • Tratar condições como leucemia, anemia aplástica e anemia falciforme;
    • Evitar mais danos causados por um processo de doença genética, como a síndrome de Hurler e a adrenoleucodistrofia;
    • Restaurar a sua função normal após a administração de doses elevadas de quimioterapia ou radiação para tratar uma doença maligna.
  • Regenerar um novo sistema imunológico que irá combater a leucemia existente, residual ou outros tipos de câncer não “curados”  por quimioterapia ou radiação.

As células-tronco estão localizadas principalmente em quatro lugares:

  • Embrião;
  • Medula óssea;
  • Sangue periférico, encontrado nos vasos sanguíneos em todo o corpo;
  • Sangue do cordão, encontrado no cordão umbilical e coletado após o nascimento.

Navegue pelo nosso site para conhecer melhor os distúrbios da medula óssea e marque uma consulta conosco para solucionar suas dúvidas.