Linfomas de Hodgkin

O linfoma de Hodgkin é um dos dois principais grupos de linfoma, o câncer do sistema linfático. No linfoma, os glóbulos brancos anormais chamados linfócitos crescem e se multiplicam incontrolavelmente e podem formar um nódulo (tumor), geralmente em um linfonodo.

O linfoma de Hodgkin também é chamado de doença de Hodgkin. O nome Hodgkin vem do médico que descreveu esse câncer. Navegue pelas guias abaixo e saiba mais sobre os aspectos desta doença.

  • Tipos de Linfoma de Hodgkin
  • Sintomas
  • Causas
  • Tipos de Linfomas
  • Estadiamento
  • Categorias de Risco
  • Tratamento

O linfoma de Hodgkin clássico e o linfoma de Hodgkin predomínio linfocitário ou predomínio linfocítico nodulare (NLPHL) são os dois principais tipos de linfoma de Hodgkin. Eles diferem na aparência do microscópio e no crescimento e na propagação.

Linfoma de Hodgkin Clássico

  • apresenta grandes células anormais conhecidas como células de Reed-Sternberg, que têm uma
  • aparência distinta quando vistas ao microscópio
  • representa cerca de 95% de todos os casos de linfoma de Hodgkin
  • geralmente tratado com quimioterapia e radioterapia
  • tem quatro subtipos:
    • esclerose nodular - subtipo mais comum (60-80% dos casos)
    • celularidade mista - 25 a 30% dos casos, geralmente mais avançada no diagnóstico
    • rico em linfócitos - 5% dos casos
    • empobrecido por linfócitos - menos de 5% dos casos

Linfoma de Hodgkin Predomínio Linfocitário (NLPHL)

  • Apresenta células anormais conhecidas como “células de pipoca” devido à sua aparência
  • Ocorre em menos de 5% das pessoas com linfoma de Hodgkin
  • Tende a crescer mais lentamente, é diagnosticado mais cedo que o linfoma de Hodgkin clássico e é tratado de maneira diferente
  • Pode ser necessário apenas uma cirurgia para remover os gânglios linfáticos, seguida de verificações regulares para garantir que o câncer não volte (período conhecido como "espera vigilante")
  • Outros tratamentos incluem quimioterapia, radioterapia e terapia direcionada
  • Em casos raros, pode se transformar em linfoma não-Hodgkin

Causas

As causas do linfoma de Hodgkin ainda não estão completamente esclarecidas, mas os fatores de risco incluem:

  • Certos vírus - A infecção pelo vírus Epstein-Barr (febre glandular ou mononucleose infecciosa) ou vírus da imunodeficiência humana (HIV) aumenta o risco, mas isso explica apenas um pequeno número de casos de linfoma de Hodgkin. A maioria das pessoas com vírus Epstein-Barr ou HIV não desenvolverá linfoma de Hodgkin.

  • Histórico familiar - Ter pais, irmãos ou irmãs que tiveram linfoma de Hodgkin aumenta levemente o risco de uma pessoa desenvolvê-lo. No entanto, esse vínculo familiar é incomum.

  • Sistema imunológico enfraquecido - Isso pode acontecer se você tiver uma doença auto-imune ou se precisar tomar medicamentos que suprimem o sistema imunológico após um transplante de órgão.

Muitas pessoas com fatores de risco conhecidos não desenvolvem linfoma de Hodgkin e a maioria das pessoas que o desenvolve não tem risco conhecido de linfoma de Hodgkin. A doença também não é contagiosa.

Sintomas

Muitas pessoas com linfoma de Hodgkin inicialmente apresentam poucos ou apenas sintomas leves. Por isso, pode ser difícil de diagnosticar. O sintoma mais comum é um inchaço indolor no pescoço, debaixo do braço ou na virilha. Esse inchaço é causado pelo aumento dos gânglios linfáticos.

Outros sintomas incluem febre sem causa óbvia; muita transpiração, principalmente à noite; e perda de peso inesperada, além de cansaço contínuo; erupção cutânea ou comichão; tosse inexplicada; e falta de ar.

Esses sintomas podem ser causados por muitas outras condições, como gripe ou outros vírus. A maioria das pessoas com esses sintomas não tem linfoma de Hodgkin. No entanto, se você tiver sintomas sem qualquer causa óbvia, consulte seu médico.

Estadiamento

O estadiamento é uma maneira de descrever até que ponto o linfoma de Hodgkin se espalhou pelo corpo. Os estágios I e II são considerados linfoma em estágio inicial e os estágios III e IV são considerados linfoma em estágio avançado.

Cada estágio também recebe uma letra de acordo com o fato de você estar tendo sintomas específicos. A letra B significa que você tem febre, suores noturnos e / ou perda de peso inexplicável (sintomas típicos de linfoma). A letra A significa que você não tem nenhum dos sintomas B.

Categorias de Risco

Consideramos o estágio, juntamente com os resultados dos exames de sangue e exames de imagem, para descobrir como é provável que o linfoma de Hodgkin responda ao tratamento. Isso é conhecido como categoria de risco:

  • O linfoma de Hodgkin em estágio inicial pode ser agrupado em categorias "favorável" ou "desfavorável".
  • O linfoma de Hodgkin em estágio avançado receberá um Índice Prognóstico Internacional (IPS) de 0 a 7 e será classificado como risco baixo, médio ou alto.
  • Conhecer o estágio e a categoria de risco do linfoma ajuda seus médicos a encontrar o melhor tratamento para seu caso.

Tratamento

Os fatores mais importantes no planejamento do tratamento para o linfoma de Hodgkin são o estágio e a categoria de risco. O tratamento também dependerá da sua idade, sintomas e estado geral de saúde. O objetivo do tratamento é controlar o câncer para que você entre em remissão: quando os sintomas e sinais de câncer reduzem ou desaparecem.

Quimioterapia e radioterapia são os principais tratamentos para o linfoma de Hodgkin. Estes são frequentemente combinados para melhorar os resultados do tratamento.

Um transplante de células-tronco pode ser oferecido se o linfoma de Hodgkin não responder totalmente ao tratamento inicial ou retornar após a remissão. Novos medicamentos direcionados para terapia e imunoterapia podem ser uma opção para algumas pessoas.

Às vezes é difícil decidir sobre o tipo de tratamento. Você pode sentir que tudo está acontecendo rápido demais ou estar ansioso para começar. Verifique com o seu médico hematologista quais são os tratamentos disponíveis, os possíveis efeitos colaterais e quaisquer informações que podem ajudá-lo a avaliar as opções e tomar uma decisão bem informada.

Prognóstico

Prognóstico significa o resultado esperado do tratamento de uma doença. Você pode discutir seu prognóstico e opções de tratamento com seu hematologista (ou oncologista, se ele for o seu principal especialista em tratamento). No entanto, não é possível a nenhum médico prever o curso exato da doença em uma pessoa.

Fatores importantes na avaliação do seu prognóstico incluem:

  • Seus resultados de exames
  • O tipo de linfoma de Hodgkin
  • O estágio e a categoria de risco
  • A taxa de crescimento do câncer
  • Quão bem você responde ao tratamento (a realização de exames durante todo o tratamento ajudam a mostrar sua eficácia)
  • Outros fatores, como idade, condicionamento físico e histórico médico.

    O linfoma de Hodgkin geralmente responde bem ao tratamento, e a maioria das pessoas tratadas entra em remissão. Isso significa que os sintomas do linfoma de Hodgkin diminuem ou desaparecem e o médico não encontra nenhum sinal da doença durante um exame físico ou em exames de imagem. Durante a remissão, você precisará de exames regulares para garantir que permanece saudável e que o câncer não retornou.

Vida após o Tratamento

Para a maioria das pessoas, a experiência do câncer não termina no último dia de tratamento. A vida após o tratamento do câncer pode apresentar seus próprios desafios. Você pode ter sentimentos contraditórios quando o tratamento termina, e se preocupar com a possibilidade de qualquer sintoma significar que o câncer está voltando.

Algumas pessoas dizem que sentem pressão para voltar à "vida normal". É importante ter tempo para se adaptar às mudanças físicas e emocionais e estabelecer uma nova rotina diária no seu próprio ritmo. Sua família e amigos também podem precisar de tempo para se adaptar. Contar com o apoio de um psicólogo neste momento pode ser decisivo para retomar sua vida.

Navegue pelo nosso site para saber mais sobre os linfomas e marque uma consulta conosco para solucionar suas dúvidas.

Linfoma Cutâneo – Sintomas, Diagnóstico e Tratamento
O linfoma cutâneo é uma condição rara que pode ser difícil de diagnosticar. Este tipo de linfoma se desenvolve na[...]
Linfoma Primário de Grandes Células B do Mediastino
O linfoma primário de grandes células B do mediastino (LPMGC) é um linfoma agressivo de células B que se acredita[...]
Hepatomegalia ou Aumento do Fígado nas Doenças do Sangue
Hepatomegalia ou Aumento do Fígado nas Doenças do Sangue. O envolvimento hepático é frequentemente observado em vários distúrbios hematológicos, resultando[...]
Linfoma Folicular – Saiba Mais
Linfoma folicular é o tipo mais comum de linfoma não Hodgkin (LNH) de baixo grau. Este tipo de linfoma geralmente[...]
Linfoma de Células T Angioimunoblástico
O linfoma de células T angioimunoblástico (AITL) é um subtipo de linfoma de células T periférico com aparência característica especial[...]
Esplenomegalia ou Aumento do Baço nas Doenças do Sangue
Esplenomegalia ou Aumento do Baço. Esplenomegalia significa aumento do baço. Esta condição descreve um estado funcional hiperativo do baço e[...]