O mieloma múltiplo latente também é chamado de mieloma indolente ou assintomático porque não causa nenhum sintoma. Este tipo de mieloma é uma condição entre gamopatia monoclonal de significado indeterminado (MGUS, uma condição pré-câncer) e mieloma múltiplo ativo (sintomático).

Continue a leitura e compreenda o que é o mieloma múltiplo latente e quando decidimos iniciar o tratamento.

Mieloma Múltiplo Latente

Quando o Mieloma Múltiplo Latente se Torna Mieloma Ativo

O mieloma latente é um estágio precursor do mieloma múltiplo. Pessoas com mieloma latente têm pelo menos um dos seguintes fatores:

  • As células plasmáticas representam 10% ou mais das células sanguíneas na medula óssea;
  • O nível de proteína M no sangue é de 30 g / L ou mais. Uma proteína M é um tipo de imunoglobulina produzida por células plasmáticas anormais;
  • A maioria das pessoas com mieloma latente acabará por desenvolver mieloma múltiplo com sintomas (mieloma múltiplo ativo).

Pessoas com mieloma latente devem fazer exames regulares a cada 3-6 meses para verificar se sua condição está progredindo para mieloma múltiplo ativo. Somente pessoas com alto risco de mieloma múltiplo latente podem receber tratamento para mieloma múltiplo.

Quando Iniciar o Tratamento do Mieloma Latente

Na maioria dos casos, pacientes com mieloma latente não recebem tratamento ativo, porque muitos deles têm apenas um risco de 10% ao ano nos primeiros 5 anos de progressão para mieloma ativo.

Até que os efeitos colaterais do tratamento se tornem completamente benignos, é fundamental avaliar caso a caso a probabilidade de progressão para saber quem irá ou não progredir para tratar aqueles que mais precisam.

Um grupo que poderia se beneficiar do tratamento é o grupo de mieloma latente de alto risco. Estima-se que esses pacientes evoluam para mieloma ativo dentro de 2 anos após o diagnóstico. Eles geralmente têm características genéticas de alto risco para mieloma ou outras condições que mostram uma progressão mais rápida da doença ativa.

Grupos de Risco do Mieloma Latente

No processo de prever quando pessoas com mieloma múltiplo latente desenvolvem mieloma múltiplo ativo, classificamos os pacientes da seguinte maneira:

Baixo Risco

Você pode ter mieloma múltiplo latente de baixo risco se apresentar os seguintes fatores:

  • As células plasmáticas representam menos de 10% das células sanguíneas na medula óssea;
  • O nível de proteína M no sangue é de 30 g / L ou mais.

Em média, pessoas com mieloma múltiplo latente de baixo risco progridem para mieloma múltiplo ativo cerca de 19 anos após o diagnóstico.

Risco Intermediário

Você tem mieloma múltiplo de risco intermediário, se:

  • As células plasmáticas representam 10% ou mais das células sanguíneas na medula óssea;
  • O nível de proteína M no sangue é inferior a 30 g / L.

Em média, pessoas com mieloma latente de risco intermediário progridem para a forma ativa cerca de 9 anos após o diagnóstico.

Alto Risco

Você tem mieloma múltiplo latente de alto risco se:

  • As células plasmáticas representam 10% ou mais das células sanguíneas na medula óssea;
  • O nível de proteína M no sangue é de 30 g / L ou mais.

Em média, pessoas com mieloma latente de alto risco progridem para a forma ativa cerca de 2 anos e meio após o diagnóstico.

Algumas pessoas com mieloma latente de alto risco têm um risco muito alto de progredir para a forma ativa dentro de 2 anos após o diagnóstico, se apresentarem todos esses fatores:

  • As células plasmáticas representam 60% ou mais das células sanguíneas na medula óssea;
  • A proporção de cadeia leve livre no soro é 100 ou superior;
  • Uma ressonância magnética mostra mais de uma área de destruição ou da medula óssea.

Se você tem este tipo de mieloma de alto risco, será tratado como se estivesse na fase I do mieloma múltiplo.

Mieloma de Cadeia Leve

Algumas pessoas com mieloma múltiplo têm células de mieloma que não produzem uma imunoglobulina completa.

Cadeias leves podem se acumular e danificar os rins. As cadeias leves são menores que as proteínas M e aparecem melhor na urina que no sangue. Isso ocorre porque as cadeias leves são filtradas para fora do sangue quando atingem os rins. As cadeias leves na urina também são chamadas de proteínas de Bence-Jones. Cerca de 15% a 20% das pessoas com mieloma múltiplo têm mieloma de cadeia leve.

Ter mieloma múltiplo latente pode ser um desafio mental. Mas pode ser importante aprender o máximo possível com antecedência. Concentre-se nos benefícios emocionais e mentais de entender sua doença e desenvolver um plano de tratamento junto com seu médico hematologista de confiança.

Referência: Myeloma Crowd

Compartilhe informação: