Compartilhe informação:

Uma transfusão de sangue é um procedimento realizado para adicionar sangue ao organismo, com o objetivo de ajudar a restaurar uma perda significativa ou níveis muito baixos do mesmo.

Se você vai submeter-se a uma transfusão sanguínea, continue a leitura para saber mais sobre como ela é realizada e tirar suas dúvidas.

Transfusão de Sangue

Durante a transfusão, o novo sangue será infiltrado através de um acesso venoso, da mesma forma que recebemos medicamentos em soro. Este procedimento pode levar de 1 a um máximo de 4 horas. Isso evita que o sangue seja danificado ou deixe de estar seguro para o paciente.

Algumas pessoas precisam de transfusões regulares para ajudar nas condições médicas. Em uma emergência, no entanto, o processo pode ocorrer mais rapidamente, como uma medida salva-vidas se o paciente estiver perdendo uma quantidade significativa de sangue.

Lesões ou cirurgias que causam uma grande perda de sangue também podem se tornar emergências.

Tipos de Transfusão de Sangue

O sangue é composto de várias células diferentes, incluindo glóbulos vermelhos e brancos, plasma e plaquetas. Em alguns casos, pode ser necessário realizar uma transfusão que use o sangue por completo, mas também há casos em que só é necessário a reposição de um componente específico. Veja a seguir os tipos mais comuns de transfusões de células do sangue:

  • Transfusão de glóbulos vermelhos – pode ser realizada se você tiver anemia ou deficiência de ferro;
  • Transfusão de plaquetas – é realizada se seu corpo não tiver plaquetas em nível suficiente, possivelmente por causa de câncer e seus tratamentos que afetam essas células;
  • Transfusão de plasma – ajuda a substituir as proteínas no sangue que ajudam a coagular. Pode ser necessário após um sangramento grave ou se você tiver doença hepática.

Transfusão de Sangue – Quando é Necessário

Existem muitas razões pelas quais uma pessoa pode precisar receber uma transfusão de sangue. Veja a seguir algumas condições:

  • Grande cirurgia ou lesão com grave perda de sangue;
  • Sangramento no trato digestivo devido a uma úlcera ou outra lesão;
  • Doenças do sangue, como leucemia;
  • Doença renal ou outra que possa causar anemia grave;
  • Tratamentos contra o câncer, como radiação ou quimioterapia, que afetam a produção de células sanguíneas;
  • Problemas graves no fígado.

Transfusão de Sangue – Compatibilidade Sanguínea

Quando você recebe uma transfusão, o sangue doado deve ter o mesmo tipo do seu (A, B, AB ou O). Conhecer seu tipo sanguíneo é extremamente importante, pois os glóbulos vermelhos contêm antígenos, ou marcadores de proteínas, correspondentes a esses tipos sanguíneos.

Se um laboratório lhe der o tipo errado de sangue, seu sistema imunológico detecta qualquer proteína estranha nas células vermelhas do sangue do tipo errado e tentará destruí-las.

É por isso que os bancos de sangue analisam o tipo sanguíneo, o fator Rh (positivo ou negativo), bem como qualquer outro fator que possa causar infecção no paciente que recebe a transfusão.

Transfusão de Sangue – Reação Transfusional

Em geral, as transfusões de sangue são consideradas seguras, mas existe a possibilidade de complicações, em alguns casos. Chamamos a isto de reação transfusional.

A maioria das reações causadas por uma transfusão de sangue ocorre durante o procedimento ou imediatamente após ele. Um enfermeiro ficará atento ao paciente enquanto ele recebe a transfusão, para verificar seus sinais vitais e identificar rapidamente sintomas de uma possível reação.

Os principais sintomas da reação transfusional incluem: dores nas costas, urina escura, arrepios, desmaio ou tontura, febre, falta de ar e coceira.

Em alguns casos, no entanto, as reações transfusionais ocorrem dias após a transfusão. Preste muita atenção ao seu corpo após uma transfusão e entre em contato com seu médico se achar que algo não está certo.

Transfusões de sangue são geralmente destinadas a ajudar o seu corpo até que ele possa retomar a produção de sangue novamente. O tratamento deve durar de acordo com o motivo para que você precisa de transfusões. Seu médico hematologista irá determinar o momento em que seu corpo idealmente será capaz de assumir “o controle”.


Compartilhe informação: