O Câncer no Sangue é Hereditário? Os cânceres do sangue, ou hematológicos, são caracterizados pela multiplicação descontrolada de células sanguíneas cancerosas, que interferem na função das células sanguíneas normais.

Estimar os riscos hereditários do câncer no sangue é clinicamente importante, para poder discriminar entre os indivíduos da população com diferentes riscos de malignidade.

Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre o risco aumentado de desenvolver câncer de sangue em indivíduos com familiares diagnosticados com a doença.

O Câncer no Sangue é Hereditário?

Fatores Hereditários do Câncer no Sangue

Os cânceres de sangue representam cerca de 10% de todos os diagnósticos de câncer e são mais comuns em homens do que em mulheres. Mais de 100 cânceres de sangue já foram identificados. Esses cânceres são classificados como leucemias, linfomas ou mielomas, e podem progredir de forma rápida (aguda) ou lenta (crônica), dependendo do diagnóstico específico.

Sabemos, há algum tempo, que certos tipos de câncer de sangue podem ocorrer em famílias. De fato, pesquisadores já identificaram alguns genes associados à leucemia hereditária (pode ser transmitida de pai para filho), o primeiro dos quais, RUNX1, foi descoberto em 2008.

Em um estudo publicado em 2019 no periódico Blood, um grupo de pesquisadores adotou uma abordagem única para quantificar o risco familiar de câncer, analisando os registros médicos de 153.000 pacientes com câncer no sangue de um banco de dados de câncer, sem qualquer conhecimento prévio da história familiar da doença dos pacientes.

O estudo identificou todos os pacientes com diagnóstico de câncer no sangue e mediu o risco associado ao desenvolvimento de câncer no sangue em familiares de primeiro grau do paciente (pais, irmãos, filhos).

Os pesquisadores descobriram maiores riscos hereditários para a maioria dos cânceres de sangue entre parentes de primeiro grau com o mesmo câncer de sangue. Além disso, o estudo descobriu que alguns tipos de câncer de sangue também aumentam o risco de familiares desenvolverem outros tipos de câncer de sangue. A leucemia linfocítica crônica, por exemplo, aumenta o risco de parentes de primeiro grau desenvolverem outros cânceres de células B e neoplasias mieloproliferativas.

Como os Cânceres Hematológicos são Transmitidos

Apesar do termo “hereditário”, os cânceres acontecem devido a uma mudança genética herdada, que predispõe uma pessoa ao câncer. Alterações genéticas anormais, chamadas mutações, podem afetar a forma como as células cancerígenas crescem.

Quando os genes funcionam corretamente, é mais difícil que um indivíduo desenvolva câncer. Por outro lado, quando o gene sofre mutação, pode levar a um crescimento descontrolado das células, e ao desenvolvimento de câncer.

Todos os cânceres resultam de mutações genéticas. Uma pessoa pode herdar fatores de risco para mutações genéticas, ou gatilhos ambientais podem alterar os genes de uma pessoa. Mas nem todos os cânceres de sangue são hereditários. A maioria é resultado de mutações genéticas adquiridas.

Embora os indivíduos não possam alterar sua composição genética que os predispõe a alguns tipos de câncer no sangue, eles podem ajudar a reduzir seu risco de outras maneiras. Exemplos incluem não fumar, evitar a exposição a herbicidas e pesticidas e alcançar ou manter um peso moderado.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Compartilhe informação: