Soluços em Pacientes com Câncer. Segundo artigo publicado na BMC Cancer, estima-se que 15 a 40% dos pacientes com câncer apresentam soluços. Os soluços são um sintoma comum observado tanto durante o tratamento oncológico quanto no ambiente de cuidados paliativos.

Na maioria dos casos, eles são irritantes mas param em alguns minutos. No entanto, alguns pacientes podem apresentar períodos contínuos superiores a 24-48 horas, ou mesmo soluços persistentes/crônicos/intratáveis ​​que duram mais de 2 meses, e até 10% dos pacientes com câncer avançado lidam com isso.

Continue a leitura deste artigo para saber mais sobre soluços em pacientes com câncer, porque eles acontecem e como podemos lidar com eles.

Soluços em Pacientes com Câncer – Porque Acontecem

Os soluços ocorrem principalmente devido à irritação do nervo que controla o diafragma, que pode ter diferentes razões para isso.

Recupere a Saúde da sua Medula Óssea!
Agende uma Consulta com Hematologista Hoje.

Acredita-se que muitas condições sejam a causa desse problema, incluindo baixos níveis de cálcio, sódio e potássio, ingestão de álcool, AVCs súbitos, ferimentos na cabeça, entre outros.

Pode ser devido a um determinado medicamento quimioterápico usado no tratamento do câncer. Até o momento, a literatura publicada sugere que drogas oncológicas como cisplatina, carboplatina, irinotecano e dexametasona causam soluços e que o próprio câncer com, por exemplo, metástases no diafragma também pode causar soluços.

Outros medicamentos que podem ou não ser usados ​​para problemas relacionados ao câncer, como esteróides, antibióticos ou remédios contra náuseas também podem causar soluços. Aqui estão algumas das drogas mais comuns que desencadeiam nossos soluços:

  • Barbitúricos (metoexital)
  • Antibióticos (azitromicina)
  • Fenotiazinas (perfenazina)
  • Opioides (hidrocodona)
  • Benzodiazepínicos – midazolam, lormetazepam e lorazepam
  • Esteróides – dexametasona, metilprednisolona, ​​oxandrolona e progesterona

Soluços também podem acontecer quando:

  • Ocorrem alterações bruscas na temperatura;
  • Se seus rins não estão funcionando corretamente;
  • O câncer está pressionando seu diafragma.

Efeitos de Soluços Prolongados no Paciente com Câncer

Em períodos prolongados, este evento parece frequentemente resultar em privação de sono, ingestão oral pobre, aspiração e, em casos graves, até mesmo morte.

Em nossa prática clínica, os pacientes se queixam frequentemente das seguintes complicações em sua qualidade de vida:

  • Fadiga/cansaço;
  • Redução da ingestão de líquidos e alimentos;
  • Ansiedade e angústia emocional;
  • Dificuldade para dormir;
  • Irritação;
  • Piora na função cognitiva;
  • Dificuldade para engolir;
  • Perda de peso.

Tratamentos

Para soluços leves, alguns remédios antigos e caseiros são considerados eficientes. Esses remédios incluem:

  • Segurar a respiração;
  • Beber água;
  • Gargarejo;
  • Acupuntura;
  • Esfregar a faringe com algodão;
  • Deitar-se com os joelhos encostados no peito;
  • Respirar em um saco de papel;
  • Respirar fundo, segurar por alguns segundos e soltar o ar lentamente.

Mas essas alternativas podem não funcionar no paciente com soluços persistentes, devido ao tratamento do câncer.

Outros tratamentos incluem clorpromazina, um derivado de fenotiazina que atua pelo antagonismo da dopamina no hipotálamo. É o único medicamento aprovado para o tratamento de soluços pela Food and Drug Administration dos EUA e está em uso há muitos anos.

Infelizmente, não se aplica a todos e apresenta reações adversas como confusão, hipotensão, cansaço, náusea, retenção urinária e sono excessivo mesmo em dose única.

O baclofeno também é um medicamento eficaz para pessoas que sofrem de soluços persistentes. Costuma atuar na resolução adequada dos soluços em cerca de 60% dos casos.

A gabapentina também é um medicamento que apresentou melhora significativa.

A nifedipina, um bloqueador dos canais de cálcio, pode desempenhar um papel na reversão do soluço, mas tende a induzir hipotensão, que pode ser especialmente grave em pacientes que recebem opioides.

O médico pode tentar um medicamento por um curto período de tempo para ver se é útil e interrompe os soluços. Se os soluços começarem novamente, ele pode usar um medicamento diferente ou uma combinação de medicamentos até que parem completamente.

Seu médico é o melhor especialista para ajudar a tratar os soluços diretamente com base em sua condição. Não deixe de conversar sobre este sintoma em suas consultas.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Recupere a Saúde do seu sistema imunológico!
Reserve Agora mesmo a sua Consulta com Hematologista.