Trombocitemia e Trombocitopenia. As plaquetas (também chamadas de trombócitos) são fragmentos celulares que circulam na corrente sanguínea e ajudam o sangue a coagular. A contagem de plaquetas pode variar em resposta à inflamação ou outros fatores em nosso organismo. Quando essa variação é muito intensa, estamos diante de um distúrbio plaquetário.

Os distúrbios plaquetários incluem:

  • Um aumento anormal nas plaquetas (trombocitemia);
  • Uma diminuição nas plaquetas (trombocitopenia).

Qualquer um desses distúrbios pode causar problemas de coagulação do sangue. Continue a leitura e compreenda as diferenças entre ambos os distúrbios.

Trombocitemia e Trombocitopenia - Qual a Diferença?

Trombocitemia e Trombocitopenia

As plaquetas, em geral, têm um breve tempo de vida no sangue (7 a 10 dias), após o qual são retiradas da circulação. O número de plaquetas circulante no sangue é conhecido como contagem de plaquetas e está normalmente entre 150.000 e 400.000 por microlitro de sangue.

Uma contagem de plaquetas inferior a 150.000 é denominada trombocitopenia. Já a contagem de plaquetas superior a 400.000 é chamada de trombocitemia.

Origem das Plaquetas

As plaquetas desempenham um papel importante no controle da coagulação sanguínea e sangramento. Juntamente com os glóbulos brancos e vermelhos, elas são componentes celulares do sangue, produzidos na medula óssea.

As plaquetas se originam de megacariócitos, células grandes encontradas na medula óssea. Os fragmentos desses megacariócitos liberados na corrente sanguínea são as plaquetas. Plaquetas circulantes constituem cerca de dois terços dos fragmentos liberadas da medula óssea. O outro terço é normalmente armazenado no baço.

Função das Plaquetas

As plaquetas iniciam uma sequência de reações que levam à formação de um coágulo sanguíneo. Elas circulam nos vasos sanguíneos e são ativadas se houver sangramento ou lesão no corpo. Certos produtos químicos são liberados dos vasos sanguíneos lesados ​​ou de outras estruturas que sinalizam para que as plaquetas sejam ativadas e se juntem a outros componentes do sistema para iniciar a coagulação.

Quando ativadas, as plaquetas se tornam pegajosas e aderem umas às outras e à parede do vaso sanguíneo no local da lesão para diminuir e conter o sangramento, obstruindo o vaso sanguíneo ou tecido danificado.

Trombocitopenia

Uma condição de trombocitopenia pode acontecer quando:

  • O corpo não produz plaquetas suficientes;
  • O organismo perde grandes quantidades de plaquetas;
  • O sistema imunológico passa a destruir as plaquetas circulantes.

Esta condição é comum em pessoas com câncer, especialmente para aquelas que recebem quimioterapia.

Pessoas com trombocitopenia podem apresentar alguns ou vários destes sintomas:

  • Hematomas frequentes;
  • Pequenas manchas roxas ou vermelhas sob a pele, chamadas petéquias;
  • Sangramentos frequentes do nariz ou gengivas;
  • Períodos menstruais mais intensos;
  • Evacuações intestinais pretas ou com sangue;
  • Urina de cor vermelha ou rosa;
  • Vômito com sangue;
  • Fortes dores de cabeça;
  • Tontura;
  • Dor nas articulações ou músculos;
  • Fraqueza.

Pessoas com trombocitopenia também podem notar que é difícil parar o sangramento de um corte.

Trombocitemia

A trombocitemia e a trombocitose são condições em que o sangue tem um número de plaquetas superior ao normal. O termo “trombocitemia” é utilizado quando a causa de uma alta contagem de plaquetas não é conhecida. A condição às vezes é chamada de trombocitemia primária ou essencial.

Essa condição ocorre se células defeituosas na medula óssea produzem plaquetas demais. No entanto, o que faz com que a medula óssea produza uma quantidade exagerada de plaquetas ainda não é conhecido.

Com a trombocitemia primária, uma contagem elevada de plaquetas pode ocorrer sozinha ou com outros distúrbios das células sanguíneas.

Quando outra doença ou condição causa uma alta contagem de plaquetas, o termo “trombocitose” é utilizado. Essa condição costuma ser chamada de trombocitose secundária ou reativa.

Frequentemente, uma contagem alta de plaquetas não causa sinais ou sintomas. Mas podem ocorrer sintomas graves ou fatais, como coágulos sanguíneos e sangramento.

O desenvolvimento de coágulos sanguíneos pode causar sintomas como uma dor intensa, vermelhidão e calor no local onde o coágulo está alojado ou mesmo levar a complicações mais graves, como AVC, infarto do miocárdio ou embolia pulmonar.

Por que Pessoas com Trombocitemia podem Ter Hemorragias?

Embora o sangramento geralmente esteja associado a uma baixa contagem de plaquetas, também pode ocorrer em pessoas que apresentam uma alta contagem de plaquetas.

Os coágulos sanguíneos que se desenvolvem na trombocitemia ou trombocitose podem esgotar as plaquetas do corpo. Isso significa que não há plaquetas suficientes na corrente sanguínea para vedar cortes ou rupturas nas paredes dos vasos sanguíneos.

Se você tem trombocitemia ou trombocitopenia:

  • Consulte seu médico para cuidados médicos contínuos;
  • Esteja atento a sinais e sintomas e comunique-os imediatamente ao seu médico;
  • Tome todos os medicamentos conforme prescrito.

Referência: Mayo Clinic

Compartilhe informação: