Apesar dos nomes semelhantes, existem algumas diferenças entre linfoma de Hodgkin e linfoma não-Hodgkin. O linfoma é uma forma de câncer que afeta os linfócitos, um tipo de glóbulo branco que desempenha papel importante no sistema imunológico.

Continue a leitura e conheça melhor estes tipos de câncer no sistema linfático, suas diferenças e semelhanças.

Diferenças entre Linfoma de Hodgkin e Linfoma não-Hodgkin

A principal diferença entre essas duas categorias de câncer linfático é o tipo de linfócito afetado. O linfoma de Hodgkin é marcado pela presença de linfócitos Reed-Sternberg, que podemos identificar usando um microscópio. No linfoma não-Hodgkin, essas células não estão presentes.

O que São os Linfócitos Reed-Sternberg?

As células de Reed-Sternberg são linfócitos grandes e anormais (um tipo de glóbulo branco) que podem conter mais de um núcleo. Essas são as células marcantes na doença de Hodgkin. São as células tumorais do linfoma de Hodgkin e geralmente são denominadas células de Hodgkin quando mononucleadas (contém apenas um núcleo) e células de Reed-Sternberg quando multinucleadas (contém mais de um núcleo.

Cuide das Alterações do seu Sangue.
Marque uma Consulta com o Hematologista Agora.

As células são derivadas de células B, mas perderam sua identidade de célula B e mostram ativação anormal. Como é característico de outros tipos de células cancerígenas, elas também se multiplicam incontrolavelmente e se acumulam de forma anormal. As células de Reed-Sternberg, especificamente, se acumulam em partes do sistema linfático, geralmente nos gânglios linfáticos. Com o tempo, o acúmulo desses linfócitos anormais pode levar ao crescimento do tumor e interferir na capacidade do corpo de combater infecções.

Elas receberam o nome de Thomas Hodgkin por sua descrição de uma lesão linfóide em 1832, Carl Sternberg (1898) e Dorothy Reed (1902) por sua posterior descrição histológica das células. Há uma disputa sobre o reconhecimento das células de Reed-Sternberg e a quem cabe o crédito por seu reconhecimento.

Outros Diferenciais

Além da presença ou ausência de células de Reed-Sternberg, outras diferenças entre o linfoma de Hodgkin e o não-Hodgkin incluem:

  • O linfoma não-Hodgkin é mais comum que o linfoma de Hodgkin;
  • A maioria dos pacientes não-Hodgkin tem mais de 55 anos quando diagnosticada pela primeira vez, enquanto a idade mediana para o diagnóstico de linfoma de Hodgkin é de 39 anos;
  • O linfoma não-Hodgkin pode surgir nos gânglios linfáticos em qualquer parte do corpo, enquanto o linfoma de Hodgkin geralmente começa na parte superior do corpo, como pescoço, tórax ou axilas;
  • O linfoma de Hodgkin é frequentemente diagnosticado em um estágio inicial e, portanto, é considerado um dos cânceres mais tratáveis e curáveis. O linfoma não-Hodgkin geralmente não é diagnosticado até que tenha atingido um estágio mais avançado.

Os Sintomas São Diferentes?

Os sintomas do linfoma podem variar dependendo do tipo de linfoma que o paciente desenvolveu. No entanto, deve-se notar que é possível sentir um ou mais dos sintomas associados ao linfoma sem ter a doença, pois esses sintomas podem ser atribuídos a outros problemas médicos.

Além disso, alguns pacientes foram diagnosticados com linfoma sem apresentar nenhum sintoma. É importante que qualquer paciente que esteja preocupado com o linfoma consulte um médico hematologista de confiança, que possa solicitar uma série de testes diagnósticos para confirmar ou descartar o câncer como causa.

Apesar das muitas Diferenças entre esses Dois Tipos de Câncer Linfático, ambos apresentam sintomas semelhantes:

  • Inchaço indolor nos gânglios linfáticos do
    • Pescoço,
    • Virilha,
    • Região do Estômago;
  • Febre de causa desconhecida;
  • Suores noturnos severos;
  • Exaustão;
  • Perda de peso involuntária;
  • Erupção inexplicável ou coceira na pele.

O linfoma não-Hodgkin também pode causar dor no peito, abdômen ou ossos sem qualquer razão conhecida.

Além disso, para ambos os tipos de linfoma, a localização de um tumor pode afetar os sintomas de apresentação. Por exemplo, se o câncer está afetando os gânglios linfáticos no tórax, dificuldades respiratórias ou desconforto no peito podem ser experimentados.

Subtipos

Alguns tipos de linfoma são mais comuns que outros.

Por exemplo, os linfomas de células B são responsáveis ​​por mais de 85% de todos os diagnósticos de linfoma não-Hodgkin nos Estados Unidos, enquanto os linfomas de células do manto representam menos de 5%. Mais de 60% de todos os linfomas de Hodgkin podem ser classificados como linfoma esclerosante nodular.

Para determinar que tipo de linfoma um paciente tem, é necessário remover um linfonodo através de uma biópsia cirúrgica e, em seguida, enviar o linfonodo a um patologista para testes adicionais. Um patologista examinará a amostra sob um microscópio para determinar:

  • Que tipo de células são cancerígenas (células B ou T);
  • Como são as células e em que padrão elas estão organizadas;
  • Que tipo de proteínas estão presentes;
  • Quais alterações genéticas (características dos cromossomos) podem ser detectadas nas células do linfoma.

Esta informação pode não só ajudar o médico hematologista a distinguir entre os Vários Tipos de Linfoma, mas também ajudar a direcionar o melhor tratamento possível. Por exemplo, alguns tipos são mais receptivos à quimioterapia do que outros, enquanto alguns são melhores candidatos à imunoterapia e outras terapias direcionadas.

Tratamento

O tratamento para o linfoma de Hodgkin ou não-Hodgkin dependerá do tipo de Linfoma, do estágio, da Saúde Geral e de muitos outros fatores.

O médico Hematologista entende que é importante analisar o caso de cada paciente de forma minuciosa, garantindo que ele receba um plano de Tratamento Individualizado e que atenda às suas necessidades exclusivas.

Mais informações sobre este assunto na Internet:

Artigo Publicado em: 16 de agosto de 2019 e Atualizado em 01 de setembro de 2023

Diga Adeus às suas Dores.
Reserve a sua Consulta de Hematologia.