Linfedema é uma condição médica caracterizada por inchaço nos braços ou pernas, que pode ocorrer como consequência da remoção ou lesão dos gânglios linfáticos.

O câncer ou o tratamento do câncer podem causar linfedema. Geralmente ocorre nos braços ou pernas, mas pode ocorrer em outras partes do corpo. Neste artigo, saiba mais sobre o linfedema, suas causas, sintomas e tratamento.

Linfedema

Desenvolvimento de Linfedema

O sistema linfático é fundamental para a saúde geral do corpo, uma vez que bactérias, vírus e outros materiais nocivos são conduzidos aos nódulos linfáticos, onde são filtrados e eliminados pelos linfócitos. Pacientes que sofrem de linfedema não conseguem realizar esse processo adequadamente, levando a membros inchados.

Os gânglios linfáticos são uma parte importante do sistema linfático e imunológico. É onde o tipo mais comum de câncer de sangue, o linfoma, se desenvolve. O linfoma ocorre quando os glóbulos brancos chamados linfócitos se reproduzem e aumentam de forma anormal – especialmente as células dos gânglios linfáticos.

Linfedema e linfoma estão relacionados, uma vez que o linfedema ocorre principalmente em pacientes que estão recebendo tratamento contra o câncer. Os tratamentos usados ​​para o linfoma podem bloquear o sistema linfático, impossibilitando a drenagem normal do fluido linfático. Como o fluido se acumula nos tecidos moles do corpo, os membros podem inchar.

Pacientes mais velhos, com excesso de peso, obesos ou com artrite reumatóide ou psoriática são fatores de risco que impactam o desenvolvimento de linfedema.

Classificações

A doença pode ser classificada em primária ou secundária, dependendo das causas de seu desenvolvimento.

O linfedema primário, uma doença rara e hereditária, é causado pelo desenvolvimento anormal do sistema linfático, que é consistente com doenças como:

  • Doença de Milroy (linfedema congênito);
  • Doença de Meige (linfedema precoce);
  • Linfedema de início tardio (linfedema tardio).

O linfedema secundário é causado por uma condição ou procedimento que danifica o sistema linfático, incluindo:

  • Cirurgia para remover os linfonodos ou vasos linfáticos;
  • Radioterapia para tratar o câncer (o que pode causar cicatrizes e inflamação nos linfonodos ou vasos linfáticos);
  • Câncer que bloqueia a linfa nos vasos;
  • Infecção nos gânglios linfáticos causada por algum tipo de patógeno.

Sintomas e Diagnóstico

O linfedema afeta um ou ambos os membros e os sintomas associados à doença incluem:

  • Inchaço de parte ou de todo o braço ou perna;
  • Sentir-se pesado ou tenso;
  • Limitações de movimento;
  • Dor ou desconforto;
  • Infecções persistentes;
  • Endurecimento ou espessamento da pele, também conhecido como fibrose.

Quando desenvolvido como resultado do câncer ou do tratamento do câncer, o linfedema pode aparecer meses ou até anos depois.

Os sinais da doença são claros e os médicos podem diagnosticá-la apenas vendo o paciente, enquanto em outros casos, exames podem ser necessários. Os testes para conduzir o diagnóstico incluem um exame médico completo e histórico familiar, ressonância magnética e ultrassom Doppler que analisa o fluxo sanguíneo.

Tratamento

Não há cura para a doença, mas existem opções de tratamento para ajudar a reduzir o inchaço e controlar a dor. Exercícios com supervisão médica ou envolvimento do membro afetado podem ajudar a recuperar a drenagem e a mobilidade do fluido linfático.

Uma técnica de massagem especializada chamada drenagem linfática manual tem o mesmo propósito, mas não é indicada para pacientes com infecção de pele, câncer ativo, coágulos sanguíneos, insuficiência cardíaca congestiva ou aqueles em tratamento com radioterapia.

Também pode ser realizado o tratamento com compressão pneumática, com sessões em que o membro afetado é colocado em uma manga que infla, criando pressão para conduzir o fluido linfático aos dedos das mãos ou dos pés.

Além disso, a terapia descongestiva completa é um tratamento combinado que inclui as terapias acima e mudanças no estilo de vida. É recomendado em caso de hipertensão, diabetes, paralisia, insuficiência cardíaca, coágulos sanguíneos ou infecções graves.

Prevenção

Uma das melhores maneiras de controlar o linfedema é evitar coisas que podem desencadeá-lo ou piorá-lo. Veja a seguir algumas orientações para prevenção:

  • Se você teve nódulos linfáticos removidos debaixo do braço, evite aferir a pressão arterial desse braço;
  • Não tire sangue nem receba injeções ou soro intravenoso em uma área onde os gânglios linfáticos foram removidos;
  • Use protetor solar FPS 30 ou superior para evitar queimaduras solares;
  • Use repelente de insetos quando estiver ao ar livre, para evitar picadas que podem levar à infecção;
  • Evite traumas ou lesões na área afetada;
  • Evite levantar pesos com o braço afetado;
  • Não faça tatuagem na área afetada;
  • Não use roupas apertadas, faixas, sapatos ou joias na área afetada;
  • Use uma manga de compressão ou meia, se solicitado pelo seu médico;
  • Use loção sem perfume diariamente para manter a pele hidratada;
  • Mantenha um peso corporal saudável, fazendo uma dieta bem balanceada;
  • Faça exercícios leves. Pergunte à sua equipe de saúde quais exercícios são adequados para você. Alguns exercícios podem piorar o linfedema.
Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Compartilhe informação: