Linfoma folicular é o tipo mais comum de linfoma não Hodgkin (LNH) de baixo grau. Este tipo de linfoma geralmente é difícil de curar, mas é mantido sob controle por muitos anos, com o tratamento sendo necessário apenas ocasionalmente.

Neste artigo, veja mais informações sobre o linfoma folicular, suas características e formas de tratamento.

Linfoma Folicular

Características do Linfoma Folicular

O linfoma folicular é um tipo dos linfomas de células B. O termo folicular descreve como as células do linfoma se agrupam em um linfonodo ou em outros tecidos.

A condição geralmente ocorre em pessoas com 50 anos de idade ou mais, sendo um pouco mais comum em mulheres do que em homens. A maioria das pessoas é diagnosticada nos estágios 3 ou 4 da doença, que geralmente se espalha para a medula óssea e o baço, mas não afeta órgãos e tecidos além dos linfonodos.

Às vezes, os linfomas foliculares podem se transformar em linfoma difuso de grandes células B (DLBCL) – um tipo de linfoma não-Hodgkin de crescimento rápido (agressivo).

Sintomas

O linfoma folicular pode não causar sintomas. Às vezes, os linfonodos em diferentes partes do corpo podem tornar-se inchados, ou a pessoa pode apresentar Sintomas B.

O linfoma folicular também pode ocorrer na medula óssea. Isso pode causar baixas contagens sanguíneas, pois as células do linfoma ocupam o espaço das células normais. Você pode desenvolver:

  • Anemia, que pode causar cansaço e falta de ar;
  • Trombocitopenia, o que aumenta a probabilidade de você machucar-se e sangrar;
  • Neutropenia (baixos neutrófilos – um tipo de glóbulo branco), que o torna mais propenso a infecções.

Classificação e Estadiamento

O linfoma folicular geralmente é chamado de linfoma de baixo grau, pois cresce mais lentamente.

Podemos subdividir ainda mais as categorias do linfoma folicular em 3 graus, de acordo com o número de células grandes de linfoma folicular (centroblastos) que podemos ver ao microscópio. Estes são 1, 2 e 3. O grau 3 é dividido em 3A e 3B.

Acredita-se que os graus 1, 2 e 3A sejam de baixo grau ou de crescimento lento. O linfoma folicular de grau 3B cresce mais rapidamente e provavelmente será tratado como um linfoma de alto grau.

Você pode perguntar ao seu médico sobre o grau do seu linfoma folicular e o que isso significa para você.

Tratamentos

Existem muitas opções de tratamento:

Espera Vigilante

A espera vigilante (também chamada de vigilância ativa) pode ser oferecida, porque se desenvolve lentamente e pode não precisar ser tratado imediatamente.

A equipe de saúde monitora cuidadosamente o paciente e inicia o tratamento quando os sintomas aparecem ou há sinais de que a doença está progredindo mais rapidamente.

Radioterapia

A radioterapia por feixe externo é usada para tratar áreas de linfonodos afetados pelo linfoma folicular estágio 1 ou 2.

O linfoma folicular mais avançado (estágio 3 ou 4) geralmente se espalha para mais de uma área de linfonodo no corpo quando é diagnosticado. A terapia com radiação pode ser usada para ajudar a aliviar os sintomas quando o caso é mais avançado.

Quimioterapia

A quimioterapia pode ser oferecida, especialmente se ele se espalhou para vários grupos de linfonodos ou outros órgãos e está causando sintomas. Um único fármaco ou uma combinação pode ser usado. A quimioterapia é frequentemente combinada com um medicamento terapêutico direcionado.

Terapia Direcionada

A terapia direcionada usa fármacos para atingir moléculas específicas (como proteínas) na superfície das células cancerígenas. Essas moléculas ajudam a enviar sinais que dizem para as células crescerem ou se dividirem.

Ao direcionar essas moléculas, os medicamentos interrompem o crescimento e a disseminação das células cancerígenas, limitando os danos às células normais.

Transplante de Células-tronco

Um transplante de células-tronco pode ser uma opção para algumas pessoas se o linfoma folicular voltar após o tratamento ou não responder ao tratamento (doença refratária).

Fatores Prognósticos do Linfoma Folicular

Esse tipo de linfoma geralmente volta após o tratamento, mas geralmente responde bem a um novo tratamento e as pessoas atingem a remissão novamente. Infelizmente, as remissões costumam ficar mais curtas a cada ciclo de tratamento.

Usamos o Índice Prognóstico Internacional de Linfoma Folicular (FLIPI) para ajudar a avaliar as pessoas com esta doença e planejar o tratamento.

Aqueles com bons fatores prognósticos provavelmente responderão bem ao tratamento. Há uma chance maior de retorno após o tratamento quando alguém apresenta fatores prognósticos ruins.

É possível calcular uma pontuação prognóstica levando em consideração vários fatores de risco diferentes. Sua pontuação no FLIPI ou seus fatores de risco podem ser usados ​​para planejar seu tratamento.

Seu médico está em melhor posição para aconselhá-lo sobre suas perspectivas com base em suas circunstâncias individuais. Ele pode usar os resultados de seus testes e considerar outros fatores, como idade, sintomas e outras condições necessárias para prever a probabilidade de responder a um tratamento específico.

Referência: Lymphoma Research Foundation

Compartilhe informação: