Hipercalcemia no Mieloma Múltiplo. A hipercalcemia é a complicação metabólica mais comum associada ao mieloma múltiplo. Pode afetar o processo da doença, a perspectiva e a taxa de sobrevida geral.

O mieloma múltiplo (MM) é conhecido por sua tendência de destruir ossos. Isso leva a complicações que são responsáveis ​​pelo aumento das taxas de sofrimento e morte associadas à doença.

Neste artigo, saiba mais sobre a hipercalcemia no mieloma múltiplo, suas causas, sintomas e formas de tratamento.

Hipercalcemia no Mieloma Múltiplo

Hipercalcemia no Mieloma Múltiplo

Os ossos têm dois tipos de células que remodelam o tecido ósseo, para torná-lo forte:

  • Osteoclastos, que destroem os ossos velhos;
  • Osteoblastos, que constroem os ossos, ajudando a manter a forma e a integridade.

No Mieloma Múltiplo, as células cancerosas produzem substâncias que dizem aos osteoclastos para acelerar a taxa de destruição óssea. Isso aumenta os níveis de cálcio no sangue.

O processo exato da doença ainda não é conhecido, uma vez que nem todas as pessoas com MM desenvolvem hipercalcemia. Pode estar presente no momento do diagnóstico ou desenvolver-se posteriormente no curso da doença.

Pessoas com MM que também apresentam hipercalcemia geralmente estão em estágio avançado do câncer. Pessoas com MM que têm hipercalcemia também podem ter as seguintes condições:

  • Anemia;
  • Trombocitopenia;
  • Anormalidades cromossômicas de alto risco.

Além dessas condições, a hipercalcemia também foi associada à presença de lesões ósseas e redução da função renal. Essas condições podem complicar o tratamento e afetar as perspectivas.

Sintomas

Uma pessoa com hipercalcemia pode ou não apresentar sintomas, dependendo dos níveis de cálcio no sangue e da taxa de variação de sua concentração sanguínea.

Pessoas com hipercalcemia leve podem não apresentar sintomas. Os sintomas também podem ser vagos ou inespecíficos, como:

  • Dor muscular;
  • Espasmos musculares;
  • Sentimentos de inquietação;
  • Prisão de ventre;
  • Problemas digestivos;
  • Letargia.

Outros sintomas podem incluir:

  • Boca seca;
  • Perda de apetite;
  • Náusea e vômito;
  • Micção frequente;
  • Sede excessiva;
  • Depressão;
  • Ritmos cardíacos anormais.

A hipercalcemia pode surgir repentinamente e ser progressiva. Em alguns casos, pode causar uma condição com risco de vida chamada crise hipercalcêmica. Isso pode levar à insuficiência renal aguda e causar sintomas neurológicos que vão da confusão ao coma.

Tratamento

Geralmente, o tratamento da hipercalcemia depende da causa e da gravidade da doença. Pessoas com hipercalcemia leve sem sintomas podem não precisar de tratamento. Mas as pessoas com sintomas graves requerem tratamento imediato.

O tratamento primário para a hipercalcemia é tratar o câncer. Embora o MM seja uma doença incurável, podemos tentar retardar a degradação óssea e melhorar a eliminação do cálcio nos rins, com as seguintes estratégias:

  • Bisfosfonatos – Os bisfosfonatos são medicamentos que podem reduzir a reabsorção óssea ao inibir os osteoclastos, reduzir a renovação óssea e ajudar a puxar o excesso de cálcio da corrente sanguínea para os ossos.
  • Descontinuação de medicamentos que podem piorar a hipercalcemia:
    • Cálcio;
    • Vitamina D;
    • Diuréticos;
    • Lítio;
    • Antiácidos.
  • Reposição de soro fisiológico – Pessoas com hipercalcemia apresentam volume plasmático anormalmente baixo devido à micção excessiva e vômitos. Para evitar que isso aconteça, podemos iniciar a reposição de fluidos por via intravenosa.
  • Calcitonina e corticosteroides – A calcitonina inibe a função dos osteoclastos e aumenta a excreção de cálcio pelos rins. Os corticosteróides ajudam a aumentar os efeitos da calcitonina, inibir a destruição óssea, matar células tumorais e diminuir a atividade e produção de células imunológicas.
  • Diálise – Algumas pessoas com insuficiência cardíaca ou renal podem não tolerar a terapia com fluidos. Nesses casos, podemos recomendar a hemodiálise com níveis baixos ou nenhuma quantidade de cálcio.

A hipercalcemia em pessoas com MM está associada a perspectivas desfavoráveis, incluindo morte precoce. Mas também é importante compreender que nem todas as pessoas com MM desenvolvem hipercalcemia. Converse com seu médico hematologista de confiança sobre esta possibilidade e como prevenir seu desenvolvimento.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Compartilhe informação: