Vacinação e Linfoma. Manter a saúde e proteger nosso corpo de possíveis infecções é primordial. Não há dúvida sobre a eficácia das vacinas, mas se você tiver um diagnóstico de linfoma, pode estar preocupado se deve tomar certas vacinas enquanto estiver recebendo tratamento.

Continue a leitura para compreender a eficácia da vacinação em pessoas com linfoma, suas indicações e cuidados que devemos ter.

Vacinação e Linfoma

Pessoas com Linfoma Podem Ser Vacinadas?

Seu sistema imunológico é composto por uma rede de células que se comunicam entre si para lutar contra infecções. Quando um agente infeccioso é introduzido, seu corpo trabalha para construir imunidade contra ele.

Mas certos tipos de câncer, como leucemia, linfoma e mieloma múltiplo, afetam diretamente o sistema imunológico. As versões malignas das células imunológicas podem interromper as interações normais entre estas células.

A combinação de tratamento padrão de medicamentos de quimioterapia e imunoterapia também afeta seu sistema imunológico, eliminando temporariamente algumas células imunológicas saudáveis. Isso pode diminuir a capacidade do seu sistema imunológico de criar anticorpos contra novas infecções.

Por esta razão, é recomendado receber vacinas antes do início do tratamento, para dar ao seu corpo tempo suficiente para construir suas defesas antes que ele perca essa capacidade.

Tipos de Vacinas

Quando se trata de vacinas, existem dois tipos principais a serem considerados: vacinas de vírus vivos e vacinas de vírus inativados.

Vacinas de Vírus Vivos

Uma maneira de fazer com que seu sistema imunológico gere uma resposta robusta contra a infecção é introduzir um vírus vivo em seu sistema imunológico para que ele produza uma infecção leve e comece a construir anticorpos contra futuras tentativas dessa infecção.

As vacinas que funcionam dessa maneira podem desencadear uma imunidade duradoura sem causar nenhuma doença grave na grande maioria das pessoas que as recebem.

Os vírus utilizados geralmente são uma cepa enfraquecida que não o deixará doente se você tiver um sistema imunológico saudável, mas podem causar doenças se o sistema imunológico estiver fraco. A maioria das diretrizes recomenda esperar três a seis meses após o tratamento de câncer antes de administrar uma vacina de vírus vivo.

Vacinas de Vírus Inativado

Outra forma comum de vacina é composta por vírus e bactérias mortos ou inativados. Eles não fornecem tanta imunidade quanto às vacinas de vírus vivos, mas também são eficazes.

As diretrizes de vacinação são atualizadas frequentemente à medida que novas pesquisas se tornam disponíveis. Se você estiver considerando uma vacina, converse com seu médico sobre quais vacinas recomendadas são apropriadas para você.

A Vacina Contra COVID-19

As vacinas contra a COVID-19 atualmente recomendadas são as chamadas vacinas de “RNA mensageiro”. Recomendamos que os pacientes tomem pelo menos duas doses antes de iniciarem o tratamento para o linfoma.

As vacinas contra a COVID são muito eficazes para proteger as pessoas da COVID se as receberem antes do tratamento. Após o tratamento, sua administração pode prejudicar a capacidade do sistema imunológico de gerar anticorpos.

Isso significa que seu sistema imunológico enfraquecido durante o tratamento pode não ser forte o suficiente para combater efetivamente uma infecção por COVID-19. Mas se você tomar a vacina antes de iniciar o tratamento, seu corpo pode aumentar sua imunidade para manter a proteção enquanto você estiver em tratamento.

Vacinação e Linfoma – Existem Efeitos Negativos da Vacina para o Linfoma?

Percebemos que as pessoas se preocupam com a segurança das vacinas e se elas podem interferir na eficácia do tratamento.

As vacinas em si não têm efeitos negativos no tratamento do linfoma. Em vez disso, a eficácia das vacinas diminui em até 50% enquanto você está recebendo tratamento e por pelo menos seis meses depois, dependendo de como a avaliamos.

É importante compreender que não temos motivos para preocupação com a segurança das vacinas, com exceção das cepas vivas enfraquecidas de vírus.

Remissão do Linfoma e Vacinação

As vacinas feitas sem vírus vivos podem ser administradas com segurança a qualquer momento, mas você deve adiar as vacinas de vírus vivos por pelo menos três meses após o término do tratamento para evitar possíveis doenças.

Em resumo, as vacinas produzem o efeito mais protetor quando são administradas antes do início do tratamento ou pelo menos seis meses após o término do tratamento.

Recomendamos fortemente aos pacientes que sejam vacinados imediatamente, caso ainda não o tenham feito. Quanto mais proteção imunológica as pessoas puderem ter em seu tratamento, melhor.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Compartilhe informação: