Vida Após o Transplante de Medula Óssea. A medula óssea é um tecido que ocupa o interior dos ossos. Ela é responsável por produzir hemácias, leucócitos e plaquetas e seu transplante ajuda a salvar a vida de pessoas que sofrem de neoplasias sanguíneas, como leucemia ou linfoma.

O procedimento de transplante de medula óssea é delicado, bem como seu período de recuperação. Mas é possível tornar essa fase menos complicada e com riscos reduzidos.

Vida Após o Transplante de Medula Óssea

Cuidados que Melhoram a Vida Após o Transplante de Medula Óssea

Primeiros 100 Dias

No período pós transplante de medula óssea (pós-TMO) o sistema imunológico fica debilitado e mais suscetível às infecções. É necessário tomar diversas precauções para se recuperar corretamente e da melhor forma.

Especialmente nos 100 primeiros dias é essencial ficar próximo à unidade de transplante para um atendimento rápido em caso de emergências.

Caso sinta qualquer um dos seguintes sintomas, é necessário buscar ajuda médica imediata:

  • Alterações cutâneas ou da aparência das fezes e urina;
  • Calafrios;
  • Dor;
  • Enjoo;
  • Falta de ar;
  • Febre;
  • Mal-estar;
  • Tosse;
  • Vômito.

A mesma necessidade emergencial se aplica caso o paciente acabe entrando em contato com qualquer pessoa que esteja portando alguma doença infecciosa.

Primeiro Ano

Após os 100 primeiros dias, o sistema imunológico já está um pouco mais forte, porém isso não significa que ele não esteja fraco. Durante o período de um ano é importante:

  • Evitar contato com animais, plantas e crianças vacinadas contra sarampo e rubéola a menos de 1 mês;
  • Não frequentar lugares com grandes aglomerações;
  • Manter distância de pessoas com doenças contagiosas;
  • Não entrar em piscinas e lagos;
  • Deixar de ir à praia;
  • Receber o mínimo possível de visitas.

Outros Cuidados a Serem Tomados

É importante se preocupar em adotar alguns costumes que podem ajudar a se recuperar com mais tranquilidade. Essas ações não garantem um conforto absoluto ou mesmo a eliminação de todo e qualquer risco, mas garantem uma maior segurança.

  • Atenção ao Sol – O TMO deixa a pele mais sensível e é necessário observá-la para identificar qualquer reação que o tratamento possa ter causado. Quem passa pelo procedimento fica mais sujeito a desenvolver câncer de pele, então é indispensável o cuidado ao sair no Sol. Use chapéu e roupas que protejam a pele, protetor solar de FPS de no mínimo 30 e evite sair em horários em que o Sol estiver mais forte;
  • Aumente os cuidados com a higiene bucal – O transplante de medula óssea pode favorecer o surgimento de mucosite. Para evitar essa complicação é importante escovar os dentes ao acordar e após cada refeição, realizar bochechos e gargarejos segundo orientação médica, ingerir no mínimo dois litros de água por dia e utilizar hidratantes labiais;
  • Cuide da alimentação – O médico e o nutricionista que acompanham cada caso irão orientar uma dieta ao transplantado. É importante que ela seja seguida à risca;
  • Mantenha as mãos limpas – As mãos são o principal veículo de transmissão de doenças. É importante mantê-las sempre limpas, bem como as unhas que também devem estar sempre curtas. Esse cuidado não se aplica somente ao transplantado, mas também a todos aqueles de seu círculo de convivência rotineiro;
  • Use máscaras – A máscara deve ser usada sempre que houver contato com outras pessoas. O uso deve ser feito sempre que o paciente sair e a máscara deve ser trocada com frequência. Mesmo com a máscara é necessário evitar aglomerações e espaços como metrôs, supermercados e parques.

Conheça outros Cuidados Pós-Transplante de Medula Óssea

Referência: National Marrow Donor Program

Compartilhe informação: