Câncer e Trombose. Pessoas com câncer e aquelas que recebem tratamento contra o câncer têm um risco aumentado de coágulos sanguíneos. Um coágulo sanguíneo é uma doença grave que requer tratamento imediato.

Neste artigo, compreenda porque Pacientes com Câncer Podem Ter Trombose e como reduzir o risco dessa complicação.

cancer e trombose

Como Ocorrem os Distúrbios da Coagulação

A coagulação normal do sangue é um processo complexo. Envolve células sanguíneas especializadas, chamadas plaquetas, e diferentes proteínas do sangue, chamadas fatores de coagulação. Essas plaquetas e fatores de coagulação se agrupam para curar os vasos sanguíneos rompidos e controlar o sangramento. Os fatores de coagulação que promovem o sangramento e aqueles que promovem a coagulação devem ser equilibrados.

Os distúrbios da coagulação do sangue ocorrem quando alguns fatores de coagulação estão ausentes ou danificados. Isso faz com que se formem coágulos que bloqueiam o fluxo sanguíneo normal e causam problemas graves.

Tipos de Distúrbios da Coagulação

Os coágulos sanguíneos podem ocorrer e viajar para diferentes partes do corpo, incluindo:

  • Veias, condição chamada de tromboembolismo venoso (TEV). Se a veia estiver na perna, coxa ou pelve, é chamada de trombose venosa profunda (TVP).
  • Pulmões, condição chamada de embolia pulmonar (EP).
  • Artéria. Isso é menos comum, mas também muito sério.

Sinais e Sintomas

Pessoas com problemas de coagulação podem ter:

  • Inchaço do braço ou perna em um lado do corpo;
  • Dor no braço ou perna onde um coágulo de sangue está localizado;
  • Dificuldade para respirar ou dor no peito ao respirar;
  • Batimento cardíaco acelerado;
  • Níveis baixos de oxigênio.

O alívio dos efeitos colaterais é uma parte importante dos cuidados e do tratamento do câncer. Isso é chamado de cuidados de suporte. Informe imediatamente a sua equipe de saúde sobre qualquer um desses sintomas. Mesmo as pessoas com níveis baixos de plaquetas podem desenvolver um coágulo sanguíneo.

Câncer e Trombose – Distúrbios da Coagulação no Câncer

Pessoas com câncer têm maior risco de coágulos sanguíneos e distúrbios de coagulação. Isso pode ser causado pelo câncer ou seu tratamento. Esses fatores de risco incluem:

  • Câncer metastático, que é o câncer que se espalhou para outras partes do corpo, além de onde começou;
  • Tratamento do câncer, incluindo cirurgia com duração superior a 1 hora, quimioterapia, radioterapia e terapia hormonal. Os medicamentos chamados anti-angiogênicos que bloqueiam a formação de novos vasos sanguíneos, como a talidomida e a lenalidomida também podem aumentar o risco de coágulos sanguíneos.
  • Tratamento com medicamentos chamados agentes estimuladores da eritropoiese que ajudam o corpo a produzir mais glóbulos vermelhos, como a eripoetina;
  • Uso prolongado de cateter intravenoso.

Os coágulos sanguíneos também podem ser causados ​​por outras razões além do câncer e seu tratamento, como:

  • Longos períodos de inatividade, como uma longa viagem de avião ou carro. Isso também pode incluir estar no hospital, porque a maioria das pessoas no hospital não pode ser fisicamente ativa e precisa ficar na cama ou não consegue sair da cama.
  • Ter outras doenças ou condições além do câncer, como obesidade, infecção, doença renal ou doença pulmonar.
    Idade avançada;
  • Raça / etnia. O risco é maior para negros e menor para brancos e asiáticos;
  • Condição herdada, o que significa que é transmitida de pai para filho em uma família.

Diagnóstico

Seu médico pode usar uma ou mais maneiras de encontrar um coágulo sanguíneo, incluindo:

  • Ultrassom Doppler. Um ultrassom usa ondas sonoras para observar o fluxo de sangue nas veias dos braços ou pernas. Ele pode detectar diminuição do fluxo sanguíneo, causada por um coágulo.
  • Varredura de tomografia computadorizada. Este exame é utilizado, principalmente para diagnosticar um coágulo sanguíneo nos pulmões (embolia pulmonar).
  • Angiograma. Este teste pode detectar coágulos sanguíneos em uma artéria.

Prevenção e Tratamento

Os coágulos sanguíneos podem ser evitados e tratados com medicamentos. Os anticoagulantes são medicamentos que impedem a formação de coágulos ou o agravamento dos coágulos existentes. Esses medicamentos podem aumentar o risco de sangramento, mas são seguros para a maioria das pessoas.

Também são recomendados os seguintes cuidados para ajudar a prevenir coágulos sanguíneos em pessoas com câncer:

  • Algumas pessoas hospitalizadas podem precisar de medicamentos para prevenir a formação de coágulos sanguíneos. Este tipo de medicamento é denominado anticoagulante. A necessidade de uma pessoa tomar um anticoagulante pode depender da duração da internação e do risco de formação de coágulos sanguíneos.
  • Pessoas com mieloma múltiplo que estão tomando um antiangiogênico junto com quimioterapia e / ou dexametasona devem tomar heparina ou baixas doses de aspirina.
  • As pessoas que passarão por uma grande cirurgia de câncer devem receber tratamento para prevenir a formação de coágulos sanguíneos após a cirurgia. O tratamento deve continuar por algum tempo, dependendo do tipo de cirurgia e do risco de coágulos sanguíneos.
  • Pessoas com alto risco de coágulos sanguíneos, mas que não estão internadas no hospital, podem receber alguma forma de anticoagulante.

Seu médico também pode recomendar os seguintes métodos, além de tomar medicamentos para prevenir a formação de coágulos sanguíneos:

  • Meias de compressão graduada;
  • Compressão pneumática intermitente;
  • Bombas mecânicas para os pés.

Uma pessoa com um coágulo sanguíneo precisa de tratamento imediato. Pessoas que estão recebendo anticoagulantes devem ser monitoradas regularmente para qualquer sangramento. Algumas pessoas não podem receber anticoagulantes porque apresentam níveis baixos de plaquetas ou alto risco de sangramento. Para essas pessoas, um tipo especial de filtro pode ser colocado na veia cava, para evitar que um coágulo de sangue chegue aos pulmões, uma condição que pode ser muito perigosa.

Converse com sua equipe de saúde para saber mais sobre o risco de desenvolver um coágulo sanguíneo, como a prevenção pode ser incluída em seu plano geral de tratamento e quais práticas você pode realizar para diminuir o seu risco.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:
Compartilhe informação: