Algumas pessoas apresentam efeitos tardios após o tratamento para o linfoma. Os efeitos tardios são problemas de saúde que se desenvolvem meses ou anos após o tratamento.

Continue a leitura deste artigo para compreender os possíveis efeitos tardios do tratamento de linfoma.

Fatores que Favorecem os Efeitos Tardios do Tratamento do Linfoma

Embora não seja possível dizer com certeza se você desenvolverá efeitos tardios, sua equipe médica deve discutir com você o risco individual de desenvolver estes efeitos adversos. Isso se baseia em fatores de risco, incluindo:

  • Fatores de risco relacionados ao linfoma;
  • Fatores de risco relacionados ao tratamento;
  • Outros fatores de risco individuais.

Sua equipe médica deve conversar com você sobre os possíveis efeitos colaterais e de longo prazo do seu tratamento antes de iniciá-lo. Você pode ter efeitos colaterais mais duradouros, como fadiga. Estes são diferentes dos efeitos tardios porque são contínuos, em vez de serem problemas que se desenvolvem algum tempo após o tratamento.

Diga Adeus às suas Dores.
Reserve a sua Consulta de Hematologia.

Quando o tratamento terminar, sua equipe médica deverá fornecer a você e sua família um resumo do tratamento que descreva o tratamento que você fez, incluindo quaisquer efeitos tardios que ele possa causar. Conhecer os problemas de saúde que você pode correr o risco de desenvolver e quando procurar orientação médica aumenta suas chances de viver bem com e além do linfoma. Você também pode descobrir com sua equipe médica como pode ajudar a diminuir o risco de desenvolver efeitos tardios.

Fatores de Risco Relacionados ao Linfoma

Os fatores de risco relacionados ao linfoma incluem o tipo de linfoma que você teve e quais partes do corpo ele afeta (estágio).

Em geral, as pessoas tratadas para o linfoma de Hodgkin têm uma chance ligeiramente maior de desenvolver efeitos tardios do que as pessoas tratadas para o linfoma não-Hodgkin. Uma razão para isto é a idade – as pessoas tratadas para o linfoma de Hodgkin são frequentemente mais jovens do que as pessoas tratadas para o linfoma não-Hodgkin, o que significa que há mais tempo para o desenvolvimento dos efeitos tardios.

Fatores de Risco Relacionados ao Tratamento

Os fatores de risco relacionados ao tratamento incluem o tipo e a quantidade de tratamento que você recebeu.

Os tratamentos utilizados hoje geralmente apresentam menor risco de causar efeitos tardios do que os tratamentos utilizados no passado. Embora muitos dos mesmos tratamentos sejam usados, eles são frequentemente administrados em menor intensidade. Isto ocorre porque os resultados da investigação ao longo do tempo mostraram que os mesmos resultados podem ser alcançados com um tratamento menos intensivo.

Além disso, os tratamentos modernos visam com mais precisão as células do linfoma, reduzindo ao máximo os efeitos nos tecidos saudáveis.

Radioterapia

Os efeitos tardios da radioterapia dependem da área do corpo tratada e da dose de radiação. Por exemplo, a radioterapia aplicada na região do tórax pode causar problemas pulmonares.

O seu médico deverá fornecer-lhe informações sobre os riscos associados ao seu plano de tratamento individual.

Quimioterapia

Os possíveis efeitos tardios da quimioterapia dependem de qual medicamento ou combinação de medicamentos você tomou, bem como da dose. Em geral, a quimioterapia em altas doses tem maior chance de causar efeitos tardios do que o tratamento com doses mais baixas.

O seu médico deverá lhe dar mais informações sobre os medicamentos utilizados no seu tratamento, incluindo seus possíveis efeitos colaterais e efeitos tardios.

Tratamentos Direcionados e Terapia com Anticorpos

Os tratamentos direcionados e as terapias com anticorpos podem “atingir” e atacar as células do linfoma com mais precisão do que alguns outros tipos de tratamento. Isso significa que geralmente causam menos efeitos colaterais. Os cientistas também esperam que estes tratamentos causem menos efeitos tardios do que a quimioterapia e a radioterapia.

No entanto, estes tratamentos são todos bastante novos – cientistas e médicos poderão recolher mais informações sobre eles ao longo do tempo. Isto inclui se os efeitos a longo prazo de tais tratamentos são ou não diferentes se forem administrados com quimioterapia tradicional.

Fatores de Risco Individuais

Fatores de risco individuais podem afetar a probabilidade de desenvolver efeitos tardios. Por exemplo, se tiver um histórico familiar de câncer, poderá já estar em risco aumentado de desenvolver câncer – fazer quimioterapia pode aumentar ainda mais este risco, mesmo que apenas ligeiramente. Idade e estilo de vida também são fatores de risco.

Idade

Em geral, o risco de efeitos tardios é maior para pessoas que fazem tratamento na infância ou na idade adulta jovem. As pessoas mais jovens têm mais tempo de vida pela frente para que os efeitos tardios apareçam do que as pessoas mais velhas. Além disso, se o tratamento afetar órgãos em desenvolvimento, os efeitos tardios tornam-se mais prováveis.

Estilo de Vida

O estilo de vida pode ser um risco ou um fator de proteção. Em geral, seguir um estilo de vida saudável pode ajudá-lo a viver bem com e além do linfoma. Isto inclui uma boa dieta e nutrição, fazer exercício, controlar o stress e dormir o suficiente. Também é recomendado limitar a ingestão de álcool e não fumar.

Mais informações sobre este assunto na Internet:
Recupere a Saúde do seu sistema imunológico!
Reserve Agora mesmo a sua Consulta com Hematologista.