O tratamento do câncer no sangue consiste, em sua essência, na utilização de múltiplas abordagens com o objetivo de impedir a proliferação celular descontrolada, agindo sobre a medula óssea.

Atualmente, alcançar a cura tem se tornado muito mais fácil, principalmente quando o diagnóstico é realizado precocemente e o câncer ainda não se espalhou para outros locais no organismo.

Neste artigo, conheça as principais formas de tratamento utilizadas para o câncer no sangue.

Tratamento do Câncer no Sangue

O Tratamento do Câncer no Sangue

De acordo com o tipo e o estágio do câncer, o estado de saúde geral do paciente e os efeitos colaterais possíveis, o médico pode definir qual forma de tratamento será utilizada.

Existem as abordagens loco-regionais, que atuam no local onde está o tumor, e também as abordagens sistêmicas, em que a terapia é aplicada de forma a entrar na corrente sanguínea, para chegar ao local do tumor.

Em alguns tipos de câncer, como o câncer de sangue, além da quimioterapia e da radioterapia, pode ser realizado o transplante de medula óssea.

Tratamentos Loco-Regionais

Os tratamentos loco-regionais incluem a radioterapia e a cirurgia para retirada do tumor. No câncer de sangue, como abordagem loco-regional, utilizamos a radioterapia.

Radioterapia

Nesta terapia, utilizamos radiação ionizante para destruir as células cancerígenas, ou impedir que elas se multipliquem.

Existem diversos tipos de radiação, mas no tratamento do câncer, utilizamos as radiações eletromagnéticas: Raios X ou Raios gama e a radiação dos elétrons, disponíveis em aceleradores lineares de alta energia.

Esta abordagem pode ser utilizada como tratamento principal, antes ou após o tratamento cirúrgico, para alívio dos sintomas e para o tratamento de metástases.

A radioterapia funciona como tratamento loco-regional, atuando especificamente sobre a medula óssea, sempre fazendo parte de um esquema terapêutico incluindo terapias sistêmicas, como a quimioterapia e também o transplante de medula, quando há indicação.

Tratamentos Sistêmicos

Quimioterapia

A quimioterapia consiste no tratamento por meio do uso de fármacos extremamente fortes, para matar as células cancerígenas.

Existem mais de 100 medicamentos quimioterápicos hoje em dia, que são escolhidos com base no tipo de câncer e o seu estágio.

Muitas vezes, a quimioterapia é o único tratamento necessário. Mas também pode ser preciso elaborar um plano de tratamento que inclua outras terapias.

Terapia Alvo ou Direcionada

A terapia direcionada é um tipo especial de quimioterapia, desenvolvido com base nas diferenças entre células normais e cancerígenas.

Este tratamento sistêmico utiliza medicamentos direcionados, que atacam especificamente determinados elementos nas células cancerígenas.

Imunoterapia

A imunoterapia é um tratamento que utiliza o próprio sistema imunológico para ajudar no combate de doenças como o câncer.

Isso pode ser feito estimulando o sistema imunológico a trabalhar de forma mais efetiva, para atacar as células cancerígenas ou fornecendo-lhe componentes próprios, que são projetados para atacar um alvo específico da célula cancerosa.

Um exemplo de imunoterapia avançada é a terapia CAR-T, em que suas próprias células T (um tipo de glóbulo branco que normalmente combate infecções no corpo) são geneticamente modificadas para aumentar sua capacidade de encontrar e matar células cancerosas. Você pode saber mais informações sobre a terapia CAR-T, lendo nossos artigos: “CAR T-Cell Terapia Genética contra o Câncer no Sangue” e “Terapia CAR T-Cell para Mieloma Múltiplo“.

Transplante de Medula Óssea

O transplante de medula óssea é mais frequentemente utilizado no tratamento de cânceres que afetam o sangue ou o sistema imunológico.

Neste procedimento, é realizada a coleta da medula óssea do doador e sua aplicação no paciente, por meio de uma transfusão após quimioterapia em altas doses, associada ou não à radioterapia.

O câncer no sangue caracteriza-se pela proliferação descontrolada das células sanguíneas. Assim, o seu tratamento consiste em abordagens que atuam sobre a medula óssea, órgão que produz estas células, reduzindo sua atividade.

Abordagens Terapêuticas para cada Tipo de Câncer no Sangue

O mieloma múltiplo pode ser tratado com quimioterapia, imunomoduladores, antibióticos monoclonais, medicamentos que estimulam a produção de hemácias e transplante de medula óssea.

O tratamento dos linfomas inclui quimioterapia, radioterapia, imunoterapia e transplante de medula óssea.

A leucemia é tratada com quimioterapia e terapias que reduzem as complicações provocadas por infecções e sangramentos, muito comuns nestes pacientes, além de prevenir o desenvolvimento do câncer no sistema nervoso central.

Para muitos pacientes, a cura só é alcançada a combinação de tratamentos. Por este motivo, a avaliação de um médico especialista é indispensável para garantir a eficácia das abordagens escolhidas.

Quando Iniciar o Tratamento do Câncer no Sangue

Algumas pessoas com câncer no sangue não precisam de tratamento imediato. Se você tem um câncer no sangue de crescimento lento, seu médico pode recomendar a Espera Vigilante. Você será monitorado com check-ups regulares e exames de sangue, mas não recebe o tratamento ativo.

A Espera Vigilante é recomendada quando o seu médico acredita que não há benefício adicional em iniciar o tratamento imediatamente.

Se o câncer não estiver causando nenhum sintoma incômodo, é uma abordagem segura que evita os efeitos colaterais dos tratamentos contra o câncer. Você só começará o tratamento se e quando precisar.

Cuidados de Suporte

Os serviços de cuidados de suporte abordam problemas físicos e emocionais que podem afetar a qualidade de vida ou a capacidade de função dos pacientes. Esses serviços são prestados antes e durante o tratamento e são adaptados para atender individualmente às necessidades de cada paciente.

Para pacientes com doenças do sangue, os cuidados de suporte podem se referir ao recebimento de transfusões de sangue para controlar a anemia grave, tomar a dose correta de anticoagulante que não resultará em sangramento e coagulação excessiva ou ingerir medicamentos de forma diária para evitar a recaída do câncer. Você pode saber mais informações sobre os cuidados de suporte, em nosso artigo: “Importância dos Cuidados de Suporte no Tratamento do Câncer“.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:

Artigo Publicado em: 5 de out de 2018 e Atualizado em: 03 de dez de 2021

Compartilhe informação: